Select Page

Mais de 600 empresas foram à falência nos primeiros seis meses deste ano. O número de processos de insolvência aumentou 33,7% face ao primeiro semestre de 2017, sendo que este registo negativo que já não se observava há seis anos.

As estatísticas divulgadas esta quarta-feira pela empresa de gestão de crédito Creditreform revelam que grande parte das falências (71%) registou-se na área dos serviços. Foram já 439 empresas a fechar portas este ano.

No setor do comércio houve 137 falências e no da construção civil foram 29.

A maioria das falências (60%) ocorreu em empresas de responsabilidade limitada (SARL) e 37% em sociedades anónimas (SA).

Já 23,4% das empresas que faliram, no primeiro semestre do ano, tinham menos de cinco anos de existência.

A compilação dos dados recolhidos pela Creditreform baseia-se nas insolvências declaradas pelos tribunais de comércio da cidade do Luxemburgo e de Diekirch.

Redação Latina

Relacionados

X