Select Page

A rádio 100,7 foi esta manhã alvo de buscas, numa operação da Polícia Judiciária (PJ) relacionada com o alegado acesso indevido a documentos no site do Parlamento ( www.chd.lu), o chamado caso ‘Chamberleaks’.

Segundo notícia avançada pela rádio pública, dois agentes da PJ apresentaram um mandato para revistar as instalações da emissora e para apreender os documentos em causa.

De acordo com a mesma fonte, nenhum documento foi apreendido, uma vez que segundo o chefe de redação da 100,7, Jean-Claude Franck, todos “os documentos descarregados do ‘site’ da Câmara dos Deputados pelos jornalistas da rádio foram”, entretanto, “apagados”, dando assim por concluída a operação policial.

As buscas seguem-se a uma queixa do presidente do Parlamento, Mars Di Bartolomeo, a 12 de março último, junto do Ministério Público por fraude e roubo de dados informáticos. A queixa visa diretamente o chefe de redação da 100,7, Jean-Claude Franck e o jornalista Claude Biver, além de ter sido apresentada contra desconhecidos.

Já na altura, o Jean-Claude Franck desmentiu ter acedido de forma fraudulenta aos documentos informáticos do Parlamento, afirmando que o acesso a esses dados foi feito através de um simples programa informático de descarregamento legal, pretendendo denunciar falhas no sistema de segurança no ‘site’ do Parlamento.

Um argumento que o presidente da Câmara dos Deputados rejeitou, sublinhando que ninguém do exterior poderia aceder a esses documentos internos, através de uma busca normal.

Redação Latina

Relacionados

X