Select Page

A central sindical LCGB diz que não houve “avanços substanciais” na primeira reunião de conciliação com os patrões do setor da construção civil, que teve lugar na quarta-feira. Em causa, o impasse nas negociações sobre o contrato coletivo dos cerca de 18.000 trabalhadores do ramo.

Numa nota divulgada à comunicação social, o sindicato cristão acusa o patronato de ter insistido na flexibilização dos horários de trabalho e de ter recusado qualquer discussão sobre a melhoria salarial.

A posição da LCGB mantém-se inalterada. A estrutura sindical reitera que não irá tolerar qualquer flexibilização do tempo de trabalho e que o aumento salarial continua a ser a reivindicação primordial.

As próximas duas reuniões de conciliação estão marcadas para 5 e 19 de de setembro.

Redação Latina

Relacionados

X