Select Page

Os dois deputados do Déi Lénk (A Esquerda) foram os únicos que ‘chumbaram’ a lei que cria uma nova autorização de residência permanente, para “investidores”.

O texto, aprovado esta quarta-feira no Parlamento, permite que pessoas oriundas de países terceiros possam viver no Luxemburgo em troca de investimentos. Uma situação semelhante à dos Vistos Gold, em vigor em Portugal. Quem depositar 20 milhões de euros num dos bancos do país ou investir 500 mil euros numa empresa pode permanecer no país. A lei, agora adotada, exclui, no entanto, investimentos exclusivos no mercado do imobiliário, quer para comprar quer para arrendar.

A Rádio Latina falou com o deputado do Déi Lénk, David Wagner, que justifica o voto contra, por considerar que a maior parte desses futuros residentes ricos só se vai aproveitar do sigilo bancário, que continua a vigorar para os residentes.

Esta lei abriu, também, caminho ao alargamento do período de retenção dos requerentes de asilo. Os requerentes de asilo, mesmo menores, podem ficar no Centro de Retenção durante sete dias, em nome da organização do trabalho da polícia. Atualmente, o período máximo permitido por lei é de 72 horas.

David Wagner está contra com o princípio de retenção de requentes, muito menos de menores.

Apesar da oposição do Déi Lénk, o projeto de lei foi aprovado pelos outros 58 deputados.

Redação Latina

Relacionados

X