Select Page

Entre 1998 e 2015, o Luxemburgo registou, em média, duas mortes por ano devido à exposição ao fumo e às chamas. Na origem das mortes, além dos incêndios, estão sobretudo as intoxicações causadas pela inalação de fumo.

Os fogos mais mortíferos são aqueles que deflagram durante a noite, o que provoca a inalação de monóxido de carbono durante o sono. Daí a importância de o fumo ser detetado o mais rapidamente possível.

Os dados são da Direção da Saúde e foram divulgados pelo ministro do Interior, Dan Kersch, em resposta aos deputados Max Hahn e Claude Lamberty, do DP, sobre a futura obrigatoriedade de ter detetores de fumo em todos os imóveis com pelo menos uma habitação.

Segundo as explicações do ministro, os imóveis já existentes vão beneficiar de um prazo de transição de cinco anos após a entrada em vigor da lei, que está ainda a ser elaborada.

Além da obrigação legal da futura lei, o Governo tenciona também lançar uma campanha de sensibilização, “sustentável e explicativa”, para esclarecer a população sobre a importância de as habitações estarem equipadas com detetores de fumo. No âmbito desta campanha, será distribuído um aparelho por agregado familiar.

Redação Latina

X