Select Page

A Comissão Escolar de Esch-sur-Alzette não recuou na decisão de acabar com o ensino integrado em português. Contudo, a partir do próximo ano letivo, o ensino de português nas escolas daquela comuna vai ser feito em regime complementar.

O sistema resulta do novo acordo entre Portugal e Luxemburgo e cujo memorando de entendimento deve ser assinado no próximo mês de abril, aquando da visita do primeiro-ministro, António Costa, ao Grão-Ducado.

A informação apurada pela Rádio Latina foi confirmada esta tarde pelo Embaixador de Portugal no Luxemburgo, Carlos Pereira Marques.

O ensino complementar de português vai ser certificado pelo Ministério da Educação do Luxemburgo. O Embaixador Carlos Pereira Marques explica, em traços gerais, em que consiste esta nova oferta escolar.

O Embaixador defende que o futuro ensino complementar de português é diferente do atual regime paralelo.

Esch-sur-Alzette exclui o atual ensino integrado em português, atualmente seguido por cerca de 550 alunos, mas opta por manter uma oferta escolar em português. A partir do próximo ano letivo, as aulas de português serão dadas em regime complementar.

Redação Latina

Relacionados

X