Select Page

O Luxemburgo tem os professores mais bem pagos da OCDE. O dado, que não é novo, aparece novamente em destaque na edição deste ano do relatório anual da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), ‘Education at a Glance 2017’.

Os professores do ensino pré-escolar e básico ganham, em média, no Luxemburgo, 57.287 euros por ano. Trata-se do dobro da média de ordenados dos países da OCDE.

O fosso entre os salários dos professores no Luxemburgo e noutros países-membros da organização é ainda mais acentuado no ensino secundário. Nesta categoria de ensino, o rendimento anual de um docente ronda os 66.455 euros em início de carreira, mais uma vez o dobro dos países da OCDE.

O relatório nota também que, por cá, regra geral, os professores ganham mais do que outros adultos licenciados noutras áreas. O ordenado de um professor do ensino básico é, em média, 10% superior ao de outro adulto com diploma de ensino superior. No caso do secundário, a diferença é de 26%.

Rendimentos à parte, no Luxemburgo, tal como na Letónia, os docentes beneficiam ainda das turmas mais pequenas da OCDE. Nas escolas primárias nacionais, a média ronda os 16 alunos por turma, ao passo que no secundário são cerca de 21. São, em ambos os casos, números inferiores à média da OCDE de 21 e 23 alunos, respetivamente.

Redação Latina

Relacionados

X