Select Page

Mais de metade dos residentes do Luxemburgo vive em casas demasiado grandes. Quer isto dizer que vivem em habitações com um número excessivo de quartos para as necessidades dos moradores.

Os dados são do Eurostat e dizem respeito a 2016. Nesta lista, o grão-ducado aparece no topo, apenas atrás de cinco outros países (Irlanda, Chipre, Malta, Bélgica e Espanha), e bastante acima da média europeia de 34,8%.

Já cerca de 8,1% da população do Luxemburgo sofre do oposto, ou seja, vive em casas ou apartamentos que não têm quartos suficientes para a dimensão do agregado familiar. Aqui, o país aparece na metade inferior da tabela, com a média europeia a rondar os 16,6%.

Roménia, Letónia e Bulgária são os Estados-membros com as maiores taxas de pessoas a morar em habitações sobrelotadas.

Redação Latina

Relacionados

X