Select Page

A portuguesa Inês Henriques conquistou hoje a medalha de ouro nos 50 quilómetros marcha dos Mundiais de atletismo, que decorrem em Londres, juntando ao troféu o novo recorde do mundo, que já lhe pertencia.

A atleta do CN Rio Maior, de 37 anos, foi cronometrada em 4:05.56 horas, pulverizando o seu recorde mundial, que estava fixado nas 4:08.25 horas e datava de 15 de janeiro de 2017, em Porto de Mós.

A medalha de ouro hoje nos Mundiais de atletismo e o recorde mundial nos 50 km marcha são fruto de ” de 25 anos de trabalho”, disse hoje a portuguesa Inês Henriques.

“Foi fantástico, não consigo descrever em palavras aquilo que estou a sentir. Isto é a recompensa de 25 anos de trabalho, do meu treinador Jorge Miguel e da minha equipa de Rio Maior”, afirmou, no final da prova,

Para a atleta, de 37 anos, o feito é “extraordinário”, mas alcançado com dificuldade.

“Os últimos quatro quilómetros foram muito duros, mas eu comecei a fazer contas e [pensei]: ‘Só tens de acabar tranquila’. Não podia fazer muito mais esforço em termos musculares, foi mesmo gerir até ao fim”, revelou.

A atleta do CN Rio Maior, de 37 anos, foi cronometrada em 4:05.56 horas, pulverizando o seu recorde mundial, que estava fixado nas 4:08.25 horas e datava de 15 de janeiro de 2017, em Porto de Mós.

A marchadora agradeceu aos vários portugueses que a apoiaram ao longo do circuito, junto ao palácio de Buckingham.

“Estava quase em casa, porque ouvia muitos, muito portugueses”, declarou.

Até chegar a Londres, Inês Henriques tinha no currículo três participações olímpicas, a última das quais no Rio2016, onde alcançou o 12.º posto nos 20 km marcha. A atleta conta ainda um sétimo posto nos Mundiais de 2007 e um nono nos Europeus de 2010, sempre na distância dos 20 km.

Inês Henriques conquista 19.ª medalha para Portugal

A medalha de ouro conquistada hoje, por Inês Henriques nos 50 quilómetros marcha é o 19.º pódio de sempre de Portugal em Mundiais de atletismo, o segundo em Londres, depois do bronze de Nélson Évora, no triplo salto.

Na corrida de hoje, a atleta do CN Rio Maior, de 37 anos, foi cronometrada em 4:05.56 horas, pulverizando o seu recorde mundial, que estava fixado nas 4:08.25 horas e datava de 15 de janeiro de 2017, em Porto de Mós.

Até chegar a Londres, Inês Henriques tinha no currículo três participações olímpicas, a última das quais no Rio2016, onde alcançou o 12.º posto nos 20 km marcha. A atleta conta ainda um sétimo posto nos Mundiais de 2007 e um nono nos Europeus de 2010, sempre na distância dos 20 km.

Para Nelson Évora foi a quarta em Mundiais, assegurando todas as honras desde 2007. Nesse ano foi campeão, em 2009 vice-campeão e em 2015 e 2017 chegou à prata.

Com esse sucesso, Nelson Évora igualou Fernanda Ribeiro no ‘top’ dos mais medalhados, com quatro. A seguir aparecem Manuela Machado, com três, Carla Sacramento, com duas, e Rosa Mota, Domingos Castro, Carlos Calado, Rui Silva e Susana Feitor e Inês Henriques, com uma.

 

Relacionados

X