Select Page

As mulheres, os jovens e os não-luxemburgueses continuam a ser sub-representados nos conselhos comunais.

A Associação de Apoio aos Trabalhadores Imigrantes (ASTI), em conjunto com outras organizações, apela a uma maior participação dos estrangeiros na vida comunal num país onde quase metade da população não é luxemburguesa.

Em declarações à Radio Latina, Sérgio Ferreira, porta-voz da ASTI, lamenta o facto de não haver recenseamento eleitoral automático dos cidadãos europeus aquando da inscrição, pela primeira vez, na comuna de residência.

O voto obrigatório para os luxemburgueses poderia ser alargado aos estrangeiros, tal como o projetado recenseamento eleitoral ‘online’, defende Sérgio Ferreira.

O porta-voz da ASTI realça a importância do próximo sábado, dia em que 38 comunas abrem excecionalmente as suas portas para permitir o recenseamento eleitoral a um maior números de estrangeiros.

Os não-luxemburgueses devem inscrever-se nos cadernos eleitorais da sua comuna de residência para votar nas eleições comunais de 8 de outubro. O prazo-limite é o dia 13 de julho.

Redação Latina

Relacionados

X