Select Page

Arranca esta segunda-feira no Tribunal da cidade do Luxemburgo um julgamento, de grande envergadura, por corrupção, que envolve muitos portugueses.

Oito arguidos sentam-se no banco dos acusados, sendo que três eram funcionários luxemburgueses, na altura dos factos.

Tudo começou há nove anos, segundo a RTL, quando os arguidos trabalhavam no Ministério das Classes Médias, mais concretamente no serviço que dá despacho às autorizações de comércio.

Os acusados são suspeitos de ter ajudado alguns candidatos a obter as autorizações, validando diplomas falsos provenientes de Portugal.

Alguns candidatos portugueses forneciam certificados falsos e os funcionários homologavam esses documentos, a troco de dinheiro, mesmo sabendo que eram falsos.

Segundo a RTL, os arguidos pediam entre 3000 a 20.000 euros por cada despacho favorável, mas fala-se em valores mais avultados, num universo de 350 a 400 dossiês.

O caso foi descoberto, quando se verificou uma estranha proliferação de autorizações indevidas, concedidas a inúmeros portugueses, no sector do artesanato.

Redação Latina

Relacionados

X